sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Mil cheiros...para todos os gostos!

Hoje escrevo sobre aromas, cheirinhos e significados. Os que me conhecem sabem que tenho muitas essências guardadas e que para cada ocasião, escolho uma. Ultimamente, curto muito aromatizador elétrico de ambiente (rechaud difusor). É supimpa! Basta colocar 15 a 20 gotinhas nele e conectar à tomada. Adoro colocar para dormir. Para isso existe a essência Bons Sonhos que se não me engano é de jasmin. Não recordo!

Há várias formas de se aproveitar esses cheirinhos, como borrifá-los pela casa ou no carro ou na roupa ou no armários. Aí a escolha é sua. Existem aquelas panelinhas de cerâmica que se parecem com um aparelho de fondue também. Adoro! Mas essas não são tão práticas como o rechaud elétrico pois é preciso colocar água, misturar a essência e acender a velinha que fica embaixo do recipiente. É um charme!

Ah a outra dica é: leve o rechaud para qualquer lugar. Levo para os hoteis em que me hospedo e também para a fazenda. Aliás, a essência citronela é perfeita para espantar insetos.

Para mim é um ótimo presentinho de Natal, amigo oculto e por aí vai. Fica a dica!

NOTA DA CAROL: Veja aqui o site oficial do rechaud. Clique! De qualquer forma, o produto é fácil de encontrar em lojas de manipulaçao de medicamentos e as que vendem cheirinhos para ambiente.

NOTA DA CAROL: Adoro a essência BREEZE da Via Aroma. É mega refrescante e purifica o ambiente.

NOTA DA CAROL: As essências são encontradas também em velas e incensos.

SAIBA OS SIGNIFICADOS DAS ESSÊNCIAS

Alecrim - estimulante, combate a fadiga mental;
Alfazema - proteção do ambiente;
Almiscar - poderoso afrodisíaco;
Arruda - afasta a negatividade, limpeza de ambientes e pessoas;
Bergamota - relaxa e refresca;
Brisa do Mar - Atrai bons fluidos, purifica o ambiente;
Camomila - combate insônia, stress, acalma o ambiente;
Canela - atrai dinheiro, ajuda no sistema respiratório, circulatório e digestivo;
Cânfora - limpeza;
Cardamomo - combate a fadiga mental, estimulante e afrodisíaco;
Cedro - atrai prosperidade, sedativo, ajuda no sistema respiratório;
Cipreste - ajuda no sistema respiratório;
Citronela - repelente, calmante, combate a exaustão nervosa;
Cravo - neutraliza odores, quebra feitiço, estimulante e analgésico para indisposições estomacais;
Dama da Noite - atrativo para o amor;
Erva Cidreira - Calmante;
Erva Doce - essência da longevidade, transmite força e coragem;
Eucalipto - limpeza, purificação, estimulante e afrodisíaco;
Flor de Laranjeira - combate a insônia e a depressão, atrai prosperidade e alegria;
Floral - relaxante, sedativo, acalma o ambiente;
Gengibre - no banho ajuda a combater gripes e resfriados;
Gerânio - relaxante, ajuda na reflexão e combate ansiedade;
Hortelã - atrai sorte, combate dores de cabeça;
Jasmim - afrodisíaco, anti-depressivo, combate ansiedade;
Junípero - purifica o ar. No banho refresca, purifica e relaxa;
Lavanda - rejuvenesce a mente e o corpo, traz equilíbrio, atrai sorte, afrodisíaco;
Limão - combate a ansiedade e o stress, purifica o ambiente;
Lírio - aumenta a disposição, traz proteção;
Madeira - relaxante;
Manjericão - afasta a tristeza e a melancolia, combate a fadiga mental e tensões nervosas;
Mel - atrai anjos e prosperidade;
Mirra - essência da purificação e do rejuvenescimento;
Morango - Aromatizante;
Musk - atrativo, afrodisíaco, acalma o espírito, combate tensões nervosas;
Olibano - estimulante, anti-depressivo, afasta a negatividade e ajuda a meditação;
Palmarosa - estimulante, no banho é hidratante, bom para a pele seca;
Patchouli - estimula o raciocínio e reconciliação, afrodisíaco;
Pêssego - traz suavidade para o ambiente;
Pinho - combate o cansaço, anti-séptico e expectorante;
Pitanga - atrai sorte e dinheiro;
Rosas - traz tranquilidade e paz, acalma o ambiente, relaxante;
Sândalo - acalma o espírito e reduz tensões nervosas, afrodisíaco;
Sete ervas - limpeza, combate mal-olhado;
Tomilho - no banho é um poderoso estimulante;
Vétiver - afasta negatividade, relaxante e calmante;
Violeta - traz harmonia e tranquilidade;
Ylang - Ylang - recarrega as energias, neutraliza a negatividade, afrodisíaco.

Adoro a letra dessa música!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Um homem que faça rir!


Ao contrário do que muitos homens pensam, as mulheres odeiam chorar. Aliás, o bom mesmo é rir. Um cara que a faz rir é muito mais legal. Não precisa ser um palhaço de circo, claro. E se você que estiver lendo esse texto agora for homem, saiba que chorar faz parte da natureza feminina. É assim pronto e acabou. E acredite, as lágrimas não são um artifício de manipulação até porque produzem rugas e destroem a maquiagem. É claro que existem aquelas que adoram brigar e chorar, mas a maiorira gosta mesmo é de ser feliz e rir, embora sejam donas de lentes de aumento.

Agora, vamos falar sério, as mulheres exageram mesmo pois sentem as coisas em nível elevado, muito diferente dos homens. E a culpa é dos hormônios. "A testosterona dá aos homens a capacidade de atravessar a vida como se fossem um hidroavião que desliza sobre ondas em uma base e velocidade estáveis. Já o nosso estrogênio nos faz sentir como se fôssemos uma pequena canoa. Passamos pelas ondas, mas sentimos cada turbulência".

E outra, volte anos luz da sua vida e se imagine no jardim de infância. O que aprendemos? Aprendemos que meninos não devem magoar as meninas nem fazê-las chorar. Tenho certeza que muito garoto já arrumou encrenca quando a amiguinha se desmanchou em lágrimas na escola. Aliás, uma parte dele está até hoje naquele parquinho do colégio. E quem foi que lhe disse que a vida  é cor-de-rosa?  Pelo que se vê, nunca foi. Isso a gente deixa para a música.


NOTA: "O curso do verdadeiro amor nunca flui suavemente". Isso quer dizer que mal entendidos, equívocos, erros e confusões são ocorrências diárias na vida de um casal. Sabemos também que pedir a um homem para dizer "desculpe, sinto muito" é como pedir um porco para voar.

NOTA 1: Quando os homens estão preocupados - por causa do trabalho, de dinheiro ou da desclassificação do seu time no campeonato - as mulheres interpretam isso como rejeição. Às vezes, uma briga apenas quer dizer que ela sente a falta dele.  (fonte: Felicity Huffman e Patricia Wolf).

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Pedaladas que produzem!



Os que me conhecem sabem que amo esportes. Amo mesmo! E como escrevi aqui há alguns dias, elegi a bicicleta como a cereja do bolo de qualquer atividade física. Sabe por que? Porque ela é sustentável e, ao mesmo tempo, serve como meio de tranporte. Além de não precisar de gasolina, depende apenas de um pouco mais de disposição. Mas o que muitos não sabem e acho isso incrivelmente incrível é que existem as "bicimáquinas" que revolucionaram uma comunidade da Guatemala. Acredite, eles produzem até shampoo só por meio de pedaladas. 

Bom, vou explicar. Existe uma ONG, na Guatemala (como já mencionei), chamada Maya Pedal que adaptou as bicicletas a diferentes máquinas para atender a necessidade da pequena comunidade de San Adres Itzapa. São equipamentos como bombas d'água, debulhadores de milho e liquidificadores movidos a pedaladas. E tudo isso só depende de uma coisa: força nas pernocas! E nada de energia elétrica. Pode se fazer um suco no liquidificador apenas colocando as pernas para funcionar. Ou melhor, para pedalar.

Os resultados já podem ser comemorados. Segundo dados da órganização, a produtividade aumentou em 200% no momento de separar os grãos de sabugo de milho. Agora, a máquina que se destaca atualmente é bicibomba. Ela bombeia água dos poços como forma de proporcionar fácil acesso aos moradores, mesmo onde não há eletricidade e os canos não chegam.


Vocë também pode pedalar!

Voluntários do mundo todo vão à Guatemala para aprender as técnicas e ajudar a Maya Pedal a produzir aparelhos para a comunidade.

Por meio do site www.mayapedal.org é possível baixar as instruções para montar as bicimáquinas em qualquer parte do globo terrestre. A Maya Pedal nasceu em 1997 e foi finalista no ano passado do prêmio de design Curry Stone por causa das invenções.

A Maya Pedal recebe doações de peças de organizações dos EUA e Canadá.

imagens: Maya Pedal

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Como nos filmes...



E lá se foi o Marcos Paulo. O ator, o ídolo da mulherada e da minha mãe também. Faleceu de câncer. Mas no mundo da minha mãe, ele atravessou o cabo das tormentas há muito tempo: assim que viu o meu pai. O pôster do galã virou pó, pois entrou em cena o homem mais bonito do mundo.

Mil anos depois e mais ou menos 30 anos de casamento, eis que minha mãe se perde na praça de São Marco, em Veneza, na Itália. Isso também foi há uns bons anos, acho que cinco. E quem ela encontra??? Vamos lá, um segundo para adivinhar. O Marcos Paulo, gente, o Marcos Paulo estava lá, na imponente grande praça num dos lugares mais românticos do mundo. E o que aconteceu? Nada.

Minha mãe procurou a "policia" italiana e se mandou! E foi embora, como nos filmes. Voltou para o Brasil...para os braços do meu pai!

Veja  a trajetória de vida do ator Marcos Paulo. Clique aqui!

NOTA DA CAROL: Em falar (escrever) sobre Veneza, adivinha quem está alagada? Segundo reportagem, os turistas estão nadando literalmente na praça de São Marco. Clique aqui para ler!


imagem: minhasimagens.net

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A praça, o cachorrinho...



Dentre tanta gente naquela pracinha, por que aquele cachorrinho tinha que vir cheirar justo você?! Claro, tem que ser como nos filmes. Mas, vamos pular a parte da fantasia, a “dos felizes para sempre”. E voltemos a vida real, exatamente como ela é.


Eis que um belo dia, lá está você, lendo um livro sob o quiosque da pracinha. Tá, ok ok. Vamos recomeçar. Você estava mesmo era escolhendo xampu na revistinha da Avon. E ao mesmo tempo batendo um papinho com a amiga. E tomando conta do bebê que, aliás, tá que tá, pois começou a andar. Um fofo!


Pense numa pracinha animada. Crianças, mães, pais, banquinhos, parquinho, uma padaria logo em frente, um barzinho acolá e o que mais? E cachorrinhos. Cachorrinhos fofos!


Uma bolinha branca, pequenininha, vem parar debaixo da mesa, macho ou fêmea...vai saber! Daí você pensa, “ah tá sentindo o cheiro do meu cão”. E a única coisa que diz em voz alta é: um fofo mesmo! E o dono do fofo há poucos passos de você. E naturalmente vai cumprimentá-lo...mas não cumprimenta. Fica paralisada. Não é mal educada. Mas o passado voltou e percorreu 360 graus em um segundo e meio. Tadinha, ficou sem reação! Isso acontece nas melhores famílias.


É. Era o Júlio. Novembro de 2008. Belém, Pará! Um mega evento do trabalho. E você, a chefona da comunicação. A feira estava lotada. E nos horários de pico dava uma escapadinha da sala gelada para circular. Só olhares, uma pena! Até ele entrar na sua sala com o presidente da empresa. Minha nossa senhora da pata choca! Choque à vista. Brasília encontra Minas Gerais em Belém. E por sorte ou não, na época, Júlio acabara de se mudar para a capital do País. E para completar as coincidências: estavam no mesmo voo de volta para casa. Não só os dois, como toda a torcida do flamengo do trabalho. Mas...ah dane-se o presidente da empresa, o amor estava literalmente no ar. Deixa só chegar na terra para ver!

 
Bem, o romance começou em Belém. Superou algumas semanas em Brasília e duas ou três idas ao cinema. E pronto acabou! Sabe aquele lance de que mulheres inteligentes sabem a hora de sair de cena ou entrá-la nela de vez? Pois é, não queria me aborrecer...fui embora. Outro belo dia, aliás dia de natal em Araguari, lá em Minas, o Júlio liga. Você atende, pois não reconhecia o número. E como era Minas...e você está em Minas, vamos ver ou ouvir.

 
É. Ligou! Ligou para dizer Feliz Natal! Feliz Natal para você também. E nunca mais...até o dia da pracinha, quatro anos depois.

 
Hoje. Brasília, novembro de 2012. Você com os cabelos mais compridos, uns sete quilos a mais. Apaixonada, vai casar. Encontrou o homem da sua vida. E não é o Júlio. Ele, o Júlio, uns dez quilos a menos, as mesmas covinhas que quase lhe mataram, um sorriso de parar o trânsito e o cachorrinho. Sozinho? Não sei...não sei. Só sei que já é época de Natal.
 

Então, Feliz Natal, mesmo sem cumprimentar. Pois Feliz Natal foi a última frase trocada. Ho ho ho!

 

NOTA DA CAROL: Júlio foi personagem de outro texto postado aqui no blog, em maio, de 2009: O cara que odeia Cold Case. Clique aqui para ler! Lembrando que ele não é o cara que odeia Cold Case. Este cara aí é outro, mas já fiz questão de esquecer o nome.


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Um turbilhão de sons!



Molotov Jukebox é uma banda inglesa, iraaada, na minha opinião. A líder da banda, Natalia Tena, toca o acordeão e tem uma voz excelente. O máximo! Além de música, ela também é atriz. Conhecida por atuar nos papeis de Ninfadora Tonks (filmes Harry Potter) e Osha (seriado Game of Thrones).

Mas o legal mesmo da banda é a incorporação do violino, trompete e acordeão. Mega animado, num estilo diversificado! Resolvi escrever sobre eles, pois hoje, tal banda se apresentará lá no Circo Voador, na Lapa, no Rio de Janeiro. Até sexta-feira, acontece por lá o Festival Música Pra Todo Mundo. Veja aqui!

O site oficial dos Molotov é http://www.molotov-jukebox.co.uk/




terça-feira, 30 de outubro de 2012

Vou de bike...



Hoje, desenterrei uma música mega antiga: A bicicleta, cantada por Simone. Deve ser saudades de pedalar. Só pode...ou vontade de que a realidade fosse outra. Pense, numa Brasília, São Paulo, cercada por ciclovias e bicicletários. Um sonho!


A bicicleta nunca sairá de moda. Pelo contrário, estará cada vez mais nela. Ao ler um revista feminina, quem está lá?! Ou ao ler uma masculina, adivinha? Nas capas das magazines de saúde e corpo, está lá, o meio de transporte, duas rodas, mais saudável do mundo. E criativo. Já se inventou de tudo com as bicicletas. Lembra daquela que tinha uma "rodona" na frente e outra pequeninha atrás? Eis uma prova!

E uma coisa é certa: temos força. E muita! Basta disposição. Na minha opinião, as pessoas tinham que trocar os carros pelas bikes para ir ao trabalho. O planeta agradece e o trânsito também. E isso já escrevi aqui! Pedalar no Rio, por exemplo, é muito comum, mas em Brasília isso ainda não faz parte da rotina de tanta gente. A realidade está com os dias contados. Acredito que as ciclovias aqui em Brasília possam motivar. Daí, a única coisa será driblar os mendingos e ladrões.


Mas acho que tudo na vida deve ser equilibrado, entende? Por exemplo, em Copenhague, o congestionamento é de bicicleta e não de carro. Acho que não ia gostar disso não. Tinha que ser meio a meio, uma forma de equilibrar o trânsito, aliado à um transporte público eficiente. Agora, tem um lance bacana e que eu me amarro: em cidades onde se é comum pedalar, as pessoas não vestem roupas de ginástica só para isso. Eu andei de bike vestida numa saia florida mega fofa no Rio. Adorei!

Eu, na Lagoa, no RJ, julho de 2011.

Carol, em Ipanema!

Com minha grande amiga, Rê, saindo da Confeitaria Colombo, em Copa, rumo à um mergulho!

CURIOSIDADE

Capacetes não são obrigatórios para pedalar em Copenhague, apesar das inúmeras campanhas do governo. Apenas um terço da população usa equipamentos de segurança. Na avaliação dos especialistas, se houver uma lei que obrigue o capacete, metade das pessoas deixará a bike de lado.


Ter carro custa caro na Dinamarca. Em 2011, os impostos pagos ao governo chegavam a 180% de seu valor. Com transporte público eficiente e uma grande rede de ciclovias, mesmo quem tem carro, deixa-o na garagem.

NOTA DA CAROL: Como amo esse assunto, amanhã tem mais curiosidade aqui no blog.

Minhas amigas e eu no pedal noturno em Brasília. Amooo!

fonte de pesquisa: Trip
imagens: cromosdotretas.blogspot.com; flickriver.com; antesdeparis.com.br

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Branca de Neve e as outras faces!

Ao ler a Revista da Cultura, publicada pela própria livraria, a capa de "Branca de Neve", vários autores, chamou-me a atenção. Achei bacana publicar aqui pois a obra é completa e inclui versões de como a estória é contada pela Alemanha, Itália, Escócia, Suíça e Rússia, com comentários do organizador do livro – Alexandre Callari. Além disso, podemos encontrar ao ler, a influência dessa estória e as adaptações  para filmes, teatro, pastiches (obra literária ou artística que imita outra) e histórias em quadrinhos.


A versão que o mundo todo conhece é a da Disney: uma garota que vai morar na floresta com os sete anões para fugir da madrasta que a odeia, por inveja de sua beleza. Dizem que a vesrão desse conto surgiu muito antes dos irmãos Grimm e que existem grandes variações, como exemplo: nem sempre os salvadores de Branca de Neve são anões; e a relação entre a garota e eles também muda bastante de uma narração para outra, até a moral e clima variam.

"O conto da Branca de Neve nem sempre foi tão puro e bonito como o desenho, já teve momentos e elementos bem diferentes, como poligamia, gravidez com uma pétala, pessoas transformadas em árvores, mundo de fadas. Além da ligação com os contos da Bela Adormecida e João e Maria. Por ser um dos meus contos favoritos, foi uma ótima leitura, o que sabia além das versão mais conhecida era sobre o fato de originalmente ser um conto de terror, como vários outros são, então muito desse livro foi novidade para mim", disse Cláudia Charão, que fez uma resenha sobre o livro, no site Concentrófoba.

FILMES

Floresta Negra ou Branca de Neve: um conto de fadas de terror. É uma versão bem sombria da história, é de 1997. Alguns dos efeitos são toscos, mas o visual e clima são bonitos. As ideias e poderes da madrasta (Sigourney Weaver) vão além do esperado, ela é bem mais estranha e maldosa.

Espelho, espelho meu:  com Julia Roberts e Lily Collins. Uma comédia, bem colorida e mais direcionada ao público infantil.


Branca de Neve e o Caçador: com Kristen Stewart, Charlize Theron (Rainha) e Chris Hemsworth. Este filme segue a linha de ação e aventura.

 
O livro é um lançamento da editora Generale. Estou louca para começar a ler! Fica a dica.

fonte: http://www.concentrofoba.com.br/ (um blog sobre livos, excelente, recomendo)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

E o meu anel, José?

José, cadê o meu anel? Não quero que seja de vidro, pois pode quebrar.

"O anel que tu me destes,
Era vidro
e se quebrou.

O amor que tu me tinhas
era pouco e se acabou".


Ciranda cirandinha vamos todos cirandar, pois essa vida é muito complicadinha e o que nos resta é entregar!

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar porque eu sempre estou pronta para o novo e por que o novo não está sempre pronto para mim?

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar que eu aceito até anel de balinha, mas o que eu quero é casar (de verdade!).

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar, pois chega um dia em que não há saída nem como fugir.

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar porque fugir seria muita covardia para uma Carolina só.

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar e cair na real, pois a solterice convicta se despediu e você nem viu!

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar, pois a idade vai chegando e é preciso entregar!

Ciranda cirandinha vamos todos cirandar porque isso já encheu a paciência.

Vá encher a paciência do São José pois esse serviço é dele! Ou então...vá cirandar cirandinha com todos os santos, mas desde que me arrume um anel para me sentir melhor.

NOTA DA CAROL: 
Chega um dia que não tem jeito! Não há saída nem como fugir. Aliás, dá sim, mas seria covardia demais para uma Carolina só.

Você luta contra qualquer tipo de sentimento ou intimidade. É autosuficiente, se basta! Nada no mundo importa com exceção do cãozinho de estimação e dos maravilhosos pais que te colocaram no mundo. Mas realmente não é permitido se enganar pois tudo pode mudar...

E muda! Eis que a solterice convicta vai embora sem se despedir. Os planos que nem se concretizaram foram substituídos por outros quase que instantaneamente. Por que, meu Deus? Por que agora? Tudo ia tão bem.

E você fica feliz de novo. Tão feliz que se adapta aos novos planos. E agora? Eles não vêm com seguro nem plano de saúde. É preciso ter coragem! A partir de agora, você começa a fazer parte de alguém. É um efeito multiplicador na vida do outro. Adapta o horário da ginástica, do salão de beleza, do encontro com as amigas, faz tudo para que tudo dê certo.

E aí? Pode dar certo? A intimidade entrou sem pedir licença. Você conhece a sogra e os melhores amigos. Fazem planos. Mas não dá para ir muito longe pois...

....o tempo é cruel com as mulheres. Generoso comigo, mas mal criado, pois aos quase 34 anos, estou em crise! Coleciono certezas, um montão delas, tiro-as do bolso para ver de vez em quando.

Será que é querer demais? Ser amada já não basta, senhorita?!

NOTA DA CAROL:

Anéis de Noivado, Significado e história

Os anéis de noivado tem um significado da promessa que um casal faz para construir um futuro juntos, no entanto a idéia dos anéis de noivado tem uma história muito própria e curiosa. Em 1477, o arquiduque Maximiliano da Áustria apresentou um anel de diamante a Maria de Borgonha. O casal casou-se, posteriormente, em 24 horas, este tem sido relatado como o primeiro registo da origem do anel de noivado.

No entanto, com contínuas pesquisas e descobertas históricas, parece que o simbolismo do anel de noivado remonta de um tempo ainda mais longínquo, no século XV, esta história tem a designação de anel de noivado, simplesmente por causa da incorporação do diamante. Os homens antigos romanos deram anéis a suas amantes, que eles chamavam de anéis de noivado. Só mais tardiamente se começaram a inscrever ou gravar os anéis com o nome do seu amante.

Esta tradição não foi estabelecida sem pensar apenas o significado simbólico. Os egípcios acreditavam que a veia no dedo anelar conduz directamente ao coração, por isso, anexando o nome do amado ou um gesto simbólico a ele ou ela estariam sempre ligados ao coração.
Diamante como um símbolo da união abençoada

Com a Idade Média, surgiu a tradição de usar um diamante nos anéis de noivado como um símbolo da união abençoada. O diamante é o mineral mais duro e mais forte sobre a terra, com a capacidade de resistir ao fogo e aço. Esses factos tornaram o material perfeito para simbolizar um vínculo indissolúvel entre um homem e uma mulher unidos pelo casamento. No entanto, neste momento, apenas os europeus ricos e os em uma posição de realeza podiam professar seu amor com um gesto tão extravagante e nobre oferecendo à sua amada um anel de noivado.

Mais para a frente, no século XIX, os diamantes tornam-se mais acessíveis para pessoas comuns. Os mercados tornam-se inundados com diamantes, após a descoberta de diamantes na região de Kimberley, na África do Sul. Em vez haver uma corrida à compra de anéis de noivado, a tendência mudou para anéis com pedras de nascimento, o que parecia ser mais uma raridade e, portanto, mais desejável. Os ricos trocaram seus anéis de noivado de diamantes para anéis de safiras, esmeraldas e rubi com detalhes em diamante, deixando os diamantes para o público em geral, tornando-os mais vulgarizados e acessíveis. O século XX trouxe consigo um desejo renovado de diamantes como o glamour de Hollywood influenciaram a opinião pública. Com a loira Marilyn Monroe surgiu a popularização da canção Diamonds são a Girl’s Best Friend.

Anel de noivado como símbolo de uma realeza imaginária

Todas as meninas sonham em ser umas princesas, a presença de um diamante no dedo colocado por seu príncipe encantado dá-lhes o direito de sentir e declarar sua realeza imaginária. Neste ponto da história, os diamantes são um símbolo de glamour e prosperidade, sem descurar a continuidade da própria forma de anel simboliza o relacionamento.

O Anel de Noivado, e seu Significado e história conferem a uma aliança uma riqueza muito maior do que para além da sua riqueza material.


fonte:heartjoia
imagem: dasmarias

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Imagem bacana!

Para quem ama quebra-cabeça como eu!

E se gosta de imagens e criações bacanas, vale a pena visitar este site aqui: https://www.tumblr.com/

Mais uma "palhinha" do excelente site tumblr. Veja abaixo:


domingo, 23 de setembro de 2012

Qual é o problema?

É inteligente aprender a aceitar e a apreciar os períodos tranquilos dos relacionamentos. Seja qual for! Até porque tudo na vida é assim mesmo. Até o dia a dia é. Pontos altos e baixos. Então, qual é o problema? Nenhum! Siga adiante. Dias melhores virão. Garanto!

(fonte: Steven Carter & Julie Sokol)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Um nerd em minha vida

 

Até que enfim alguém que me entende e sabe conversar comigo. Tudo bem que ele é um pouco exagerado. Às vezes, fala a mais e me interrompe. Mas isso é coisa de gente inteligente e que tem informação demais. Daí fico brava, mas depois passa.


Porque tudo é fogo e brasa. Altamente inflamáveis. E isso descarta qualquer outra coisa que possa incomodar.


Com ele, temos sarais todas às noites. Ele lê para mim e eu leio para ele. Saber sobre Os Comedores de Batata de Van Gogh é fichinha perto das nossas “viagens”.


Mas o melhor de tudo é o modo como encaixo como uma luva nos braços dele. Assim posso ouvir melhor todas as histórias e estorinhas. E subitamente, adormecer. Até ele começar com a décima sinfonia de Beethoven. E isso me deixa brava!



Mas tudo bem. Porque tudo é fogo e brasa. Altamente inflamáveis. E como disse, a braveza fica descartável.



E porque ele não se importa de eu escrever o número das páginas que quero destacar na contracapa do livro. Também...ele faz o mesmo.



E porque eu como o sonho de valsa belas beiradas, e deixo apenas aquela nave espacial de castanha para ser deliciada ao final. Ele faz o mesmo!



E porque quando eu quero me livrar de uma correspondência que tem todos os meus dados, corto em pedacinho e vou jogando em lixos diferentes. Um montão deles. Ele faz o mesmo! Mas para ele, isso é segurança da informação. Para mim, é apenas “carolzice”.



E porque ele pesquisa sobre o que eu gosto. Está craque em grana padano. Digo o queijo que tanto gosto!



E porque ele adora quando o convido para almoçar “fora” e monto a mesa na varanda! Rá.



E porque amamos estar juntos. Gostamos tanto que depois que ele me deixa em casa soma-se mais 1h02minutos no telefone. Tudo isso para despedir. E não despedimos...



...porque isso nunca mais vai acontecer! Pois viveremos para sempre um para outro, entre uma discordância e outra, mas eternamente amigos.



Ao meu futuro marido, um mega punk feliz aniversário!!!


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Escadaria do Convento de Santa Teresa



Jorge Selarón, pintor autodidata chileno lançou em 1990 um projeto em que declarou como “minha homenagem ao povo brasileiro que até mesmo o grande Gaudi vai ficar com inveja”. A peça em questão compreende uma escadaria de 125m decorada por um imenso mosaico, chamada de “Escadaria Selarón” ou “Escadaria do Convento de Santa Teresa”, ligando a Rua Joaquim Silva, no bairro da Lapa, à Ladeira de Santa Teresa, no bairro de Santa Teresa. Estes dois populares bairros do Rio de Janeiro valem a visita durante a sua estadia na Cidade Maravilhosa.

Para realizar este incrível projeto, o artista iniciou a construção de um jardim suspenso construído com antigas banheiras decoradas por azulejos, que se transformaram nas bordas da escadaria. Então começou a cobrir os 215 degraus com azulejos inteiros e pedaços. Quando não há mais espaço ele se diverte mudando as peças de lugar, fazendo desta escada uma imensa obra viva. Os azulejos foram trazidos de todas as partes do mundo, enviados por visitantes que como ele também amam a arte.


Em 1999, Selarón decidiu pintar os próprios quadros cujo tema frequente é a mulher negra grávida, que aparece em quase todos eles. Algumas peças são homenagens a personalidades famosas no Brasil, incluindo atletas, jornalistas, artistas, compositores, entre outros. Algumas das suas obras já foram estimadas em centenas de dólares e seus quadros serviram de recursos para a continuação da escadaria, ainda hoje seu sonho inacabado.
O artista:
 
Muitos anos atrás, Jorge Selarón foge da ditadura Chilena, passando por mais de 50 países até decidir-se por viver no Brasil. Na época, deixa sua esposa grávida para trás e tempos depois é informado sobre a morte de sua mulher e filho. Um fato doloroso que explica sua obsessão por mulheres grávidas repetidamente apresentadas em suas obras. Desde 1977, o artista jurou que iria pintar uma mulher negra grávida todos os dias e 10 anos depois, ela aparece em toda a sua obra. E 30 anos depois, pintou 365 mulheres grávidas em um único dia. Mas é a Escadaria de Selarón que o artista define como a obra de sua vida, e em suas próprias palavras “um sonho louco e original que só vai acabar no dia da minha morte”. Acima de tudo “é a minha homenagem ao povo brasileiro” e uma forma de agradecer o Brasil para recebê-lo tão bem.


Hoje, seu trabalho já percorreu o mundo inteiro. Quem já não viu seus mosaicos e pinturas em revistas ou clipes musicais? Basta lembrar do recente clipe do Snoop Dog e Pharell para a música “Beautiful”, onde eles aparecem sentados na escada. A escadaria Selarón é realmente um cartão postal e parada obrigatória para os turistas que passam pela Lapa no Rio de Janeiro. Você também vai gostar de saber que você pode realmente conhecer Jorge Selarón, que vive em uma das casas cerca da escadaria. Ele ficará feliz em dar autógrafos e tirar uma foto com você. Além disso, a escada está em constante evolução. O autor gosta de mudar as peças, substituindo-os por outros. Por isso, ele vai ficar muito feliz se você lhe trouxer um azulejo novo, que ele vai adicionar a sua vasta coleção.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Carolina pronto e acabou!




Meu pai disse que sou a próxima Grazi Massafera. Meu ex professor de ginástica também.

Outros dizem que pareço a Penelope Cruz. E Carla Bruni. Rá.

Alguns me chamam de Carol Jolie por causa de uma “feinha aí” conhecida como Angeline Jolie, esposa do bonitão Brad Pitt.

A lista é vasta. E Claire Forlani, aquela outra bonitona que contracenou com a morte (Brad Pitt) no filme Encontro Marcado também está nela.

Tudo bem, tudo bem, achei legal! Até porque se parecer com alguém é um elogio. Mas será que dá para eu ser parecida comigo mesmo? Porque algo me diz que nenhuma dessas beldades ia gostar de tal comparação.

Sou a Carolina, pronto e acabou. E se for para fazer alguma relação, sou Carolina por causa do Chico, por causa dos “olhos tristes que guardam a dor desse mundo” de Chico Buarque. Pelo menos, segundo minha mãe, sou Carolina por causa dessa canção. Mesmo que o tempo passe pela janela...

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Tudo às avessas!


Muito prazer, meu nome é Anilorac. Acabei de descobrir que vivo ao contrário, então o meu nome também tem que ser às avessas!

Como é que podemos denominar uma pessoa assim? Que faz tudo o contrário? Quero saber. Quem sabe assim posso me adaptar melhor ao mundo...
 
Peço a sobremesa antes do prato principal. Adoro café às duas da manhã. Começo a folhear uma revista de trás para frente. Troco um almoço por um sorvete, fácil fácil. E gosto de trabalhar (e estudar) na hora que poucos o fazem.

Gosto do que os outros não gostam. E isso não é legal! Porque o que não tem quórum acaba. Vaza! Vai embora. O molho teryaki do Mc Donald´s saiu do cardápio porque ninguém gostava. Com o polpetone de peito de peru do Spoleto aconteceu o mesmo. Pense na minha cara. “Ô moça, por favor, metade de uma salada e um polpetone de peito de peru. No crédito, ok?”. Daí, escuto “Senhora, saiu do cardápio! Temos o de carne e frango”. Eeeeeca, penso eu, que vontade de esganar essa mulher!!!

Arghhhhhh!!! Difícil, difícil à bessa viver ao contrário. Reprogramar o cérebro e encontrar novos gostos e paladares é um drama.

Tudo bem que o ser humano, no geral, é resistente, mas a Carolina...a Carolina é tão do contra que nasceu no dia 2 de janeiro. Então por que não no dia primeiro logo, depois do reveillon? Claaaro que não, ela gosta de contrariar!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dançando com Zorba, o Grego!




Dance, did you say daaance? E foi assim todo animado que Anthony Quinn fez uma das cenas mais felizes do cinema clássico. Pelo menos para mim, Zorba, o Grego, é um filme e tanto. Contagia! A música “Sirtaki” coloca qualquer pessoa para cima. E faz a gente dançar, dançar, rodar, rodar.


Sobre o filme

Zorba the Greek é um filme greco–americano de 1964, baseado no romance homônimo de Nikos Kazantzakis e dirigido por Michael Cacoyannis. O personagem principal é nada mais nada menos que Anthony Quinn — que não era grego, mas mexicano. O elenco incluiu Alan Bates como um visitante britânico. O tema, "Sirtaki", de Mikis Theodorakis, tornou-se famoso e popular como canção e dança.

O filme foi rodado na ilha grega de Creta. Lugares específicos incluem a cidade de Chania, a região de Apokoronas e a península de Akrotiri. A famosa cena onde o personagem interpretado por Quinn dança o Sirtaki foi rodada na praia do vilarejo de Stavros.



NOTA DA CAROL 1: Há mais ou menos três domingos, depois de um almoço maravilhoso com amigos, Sirtaki foi a nossa trilha sonora. De frente para o lago, assistimos à um belo pôr do sol. As aves foram embora e ficamos apenas nós, o champagne e a música. Belo fecho de semana com os amigos! Fica a dica.

NOTA DA CAROL 2: Note no último vídeo que Anthony Quinn, com já seus 84 anos, dançava que era uma beleza ao som de Sirtaki.

NOTA DA CAROL 3: Solta o som, DJ!!! Dandan...dandan...dandandan...dandan.

Mulher de um item só!




Hoje ele escreveu que sou mulher de um item só e que isso basta! Que o único requisito necessário é que eu faça os olhos dele brilharem. Simples assim!

E eu que até organizava os meus requisitos em ordem alfabética. Tinha orgulho deles. E buscava mais e mais e mais. E, num súbito sentimento de vaidade, catalogava-os e tirava-os do bolso, um a um. É...foi-se! Não precisa.

E isso é uma prova. Uma prova de que o amor não complica. Simplifica! Se faço os olhos dele brilharem, o que mais importa? Ser mulher de um item só.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Brasília em chamas! Vamos ajudar.

Hoje eu desejo que as pessoas respeitem a natureza! E nesta época de seca em Brasília, quero que os fumantes não joguem fora o cigarro aceso pela janela do carro. Ou façam como eu (quando raramente fumo): aproveitem a água da garrafinha que sempre deve estar junto de você e apaguem o cigarro. Se preferir (o que pode dar um pouco mais de trabalho) jogue dentro de um saco plástico. Sei que uma das coisas que mais dá prazer e fumar, ligar uma musiquinha no carro e vambora. Mas, agora, o cuidado deve ser redobrado.

E em todos os anos, a situação é a mesma. Chega junho, julho, tenho vontade de frear o tempo para que as florestas e os animais tenham um período a mais de paz. Brasília arde, queima, muda de cor. Cinza de dia, laranja e preto à noite. E o meu coração angustia, agonia, clama por consciência. É claro que não é só o cigarro que provoca um incêndio, vários outros fatores estão atrelados à situação. Mas se pudermos eliminar pelo menos algumas das causas já significa evolução e respeito ao meio ambiente.

Levanto esta bandeira! Vamos ajudar e não atrapalhar!

Vamos conviver em paz com essa secura, esse deserto do planalto central. Já é bem difícil para todos nós, imagine para a natureza?!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Esses são os "caras". Que felicidade!

Quer pirar de tanto se divertir com música? Então, basta clicar em algum vídeo dos “The Piano Guys”. Eles brincam com a música, transformam e interpretam de uma maneira peculiar. Um barato! É nítido que eles se divertem ao tocar.

“The Piano Guys” é formado por Jon Schmidt e Steven Sharp Nelson. Jon toca o piano e Steven toca o violoncelo. Eles ficaram famosos no youtube, onde vêm postando vídeos de arranjos e misturas de músicas populares e clássicas, acompanhados de clipes de visual profissional. O primeiro álbum foi lançado em dezembro de 2011.


Separei algumas das interpretações que mais amo:

Happy together. Adoro!


The Cello Song de Bach. Uma das mais lindas canções do mundo!


Musiquinha do Snoopy! Uma delícia de vídeo.


Little little star. Musiquinha que toda a criança aprende a cantar nas aulinhas de inglês.


Star wars. Bela interpretação. Vale a pena demais!


Rolling in the deep. Não sou muito chegada na cantora Adele, mas a versão com essa dupla é fenomenal.



Paradise, do Coldplay.



Carmina Burana. Um espetáculo de vídeo!


Moonlight


Campeões mundiais do pessimismo!


Nunca os franceses foram tão negativos na história desse planeta, como agora, em 2012. Uma pesquisa da BVA Gallup International comprova isso. Além de já terem o estereótipo de mau humorados e reclamões, os franceses são os campeões mundiais do pessimismo. A pesquisa revelou que 81% da população estima 2012 como um ano difícil. Como causa, aponta-se a crise econômica. Mas a realidade mostra que o francês é muito mais pessimista que os vizinhos europeus. O estudo foi aplicado em habitantes de 51 países diferentes.


Fonte: Jornal RFI e http://oguiadeparis.blogspot.com.br
Imagem: embarquenaviagem.com

domingo, 5 de agosto de 2012

Eu disse sim!


Passam se dias, meses, um semestre, e ela tem a certeza de que a solidão dela é consciente, certa de que não se quer ninguém! As viagens ao Rio de Janeiro são como o ar que ela respira. E vai longe para buscar esse sentimento que a torna viva de novo. E assim programa um voo atrás do outro. Feliz da vida por não depender de ninguém e não sentir falta de alguém especial. Ela se libertou! Compra flores no mercado, coloca na cestinha da bicicleta, sintoniza o ipod numa música legal, abre os braços e deixa que o vento bagunce os seus cabelos e pedala, pedala, pedala. As flores? Para ela, claro. Adora flores e o perfume delas é como um bálsamo de felicidade, um batismo de uma pessoa que está prestes a conhecer a real felicidade.

Ela se basta, viaja sozinha! Não quer ninguém, tem certeza disso. A garota passou a se importar só com ela. E achava que relacionamentos eram perda de tempo. Para que ser a cara metade de alguém se ela já tem uma cara inteira, um corpo inteiro autosuficente (que de vez em quando berra por açúcar)?! Bobagem...

Ela estava feliz, eu juro! Mas você chegou “chegando”, não deu tempo, não deixou que ela parasse para pensar, não deu tempo para que ela calçasse os tênis e fugisse mais uma vez. E assim foi...

Agora, ela tem escovas de dente na sua casa. No que foi que ela se meteu, onde foi que vocês se meteram? Ela veste a sua blusa com naturalidade. Não pensa, apenas vai. E assim foi...

O mundo se tornou pequeno para vocês. Paris terá dimensões reduzidas diante de tanta felicidade. As aves de Bruges serão insuficientes. O mar do Rio e as montanhas de BH servirão apenas de palco para tanta história.

E ela adora ele porque ele escreve para ela. Não como no filme, uma carta por dia, mas quase!

E ela adora ele porque ele a fez querer dizer sim, sim, sim!

Sim, eu aceito! Aceito ficar com você, viajar com você, desenhar com você, dormir e acordar com você, pedalar o mundo com você.


NOTA DA CAROL: Preste atenção na música.

NOTA DA CAROL 2: Um texto legal do Carpinejar. Clique aqui!

NOTA DA CAROL 3: Outro texto legal. Clique aqui!


Imagem: brunaejonathan.wordpress.com