sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Um álbum bacana


Descobri músicas legais demais num álbum, recém lançado, chamado Las Venus Resort Palace Hotel, de Cibelle Cavalli, paulistana residente em Londres. 

"Las Vênus Resort Palace Hotel é um improvável cabaret onde todos os sons do mundo se transformam em música, o exoticismo e antropofagia de Oswald de Andrade se encontram no mesmo palco onde a Rainha dos Andes, Yma Sumac, se exibe junto com uma Carmen Miranda pós-moderna, plantando uma semente da qual nascerá uma árvore de frutas indefinível, assim como as onze músicas originais, mais três covers deste lindo álbum." (Mauro Lussi, Radio UFSCar)

"Covers que merecem ser citadas por ser escolhas incomuns para não dizer esquisitas, começando por “Mango Tree”, cantada na versão original por Ursula Andress no filme “Dr. No” da interminável série dedicada a James Bond; seguida por “Lightworks” escrita pelo excêntrico compositor Raymond Scott, um dos primeiros a se envolver com a música eletrônica já nos anos 50, e fechando com “It’s Not Easy Being Green” cantada originalmente por, nada mais nada menos, sapo Kermit dos Muppet’s Show." (Mauro Lussi, Radio UFSCar)

Abaixo algumas músicas que mais gostei!


GENIAL!!!



Esse clipe aqui achei bem parecido com os que faziam os Squirrel Nut Zippers.

Antão do deserto e o seu último suspiro!



Você conhece o Antão? O Antão do deserto...aquele que nasceu em 251, no Egito. Ele era santo. Dizem que morreu santo aos 105 anos. Mas lendo Leandro Karnal, em Pecar e Perdoar, parece que ele não morreu santo. Ele viveu santo. Difícil entender dessa maneira, né?! Então vamos
lá...

A questão de Santo Antão é a resistência ao "aquele que não pode ser nomeado", é esse mesmo, o "d" (tenho medo de escrever e até dizer este nome). Antão sofria até com as tentações da castidade, dormia no chão, renunciava a tudo. Ele fazia tudo certinho. 

"Não conseguindo fazer o santo pecar contra a castidade ou contra seus jejuns, o demônio enceta nova tática: distração". Bastava começar a rezar e lá estava o "d" tentando. Nada, mas nada absolutamente o tirou da sua prática.

"Sua concentração superava todo o mar de ritalina que hoje banha as praias da falta de atenção de crianças e jovens". Acho fantástica essa passagem de Karnal. 

Bom, há dois finais para essa história, segundo Karnal. Um herói de fé que foi até o fim. E a outra que parece ser mais interessante: depois que o "d" já tinha tentado de tudo e Antão no fim de sua vida, se ajoelha, humilde e agradece: "Obrigado, Senhor, finalmente me tornei um santo". O "d" ouve a oração e volta, sorridente. Antão fora vencido pelo pecado do ORGULHO dele mesmo.

"O orgulho é, de longe, o primeiro e mais universal pecado. (...) foi tão longe na estrada da virtude e tropeçou nesta pedra quase invisível. Nós que somos tão menos..."

Pobre Antão. Chutou a pedra no último suspiro. Não gostei deste final...

O livro é bacanésimo. Por este fato, vale a pena trazer um ou outro destaque.


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Baladinha






Dispensa qualquer texto. É só curtir a música...

Le Parfum de Baudelaire





Quando estudei literatura em Paris fiquei ainda mais próxima dos meus escritores prediletos (que são vários). Mas hoje destaco Charles Baudelaire, um poeta boêmio, tradutor e crítico de artes. Ele nasceu em 9 de abril de 1821.E morreu com apenas 46 anos. Abaixo um lindo poema que adoro. 

Tentei fazer uma boa tradução:



Le parfum                    

Lecteur, as-tu quelquefois respire                       
Avec ivresse et lente gourmandise                      
Ce grain d'encens qui remplit une église,            
Ou d'un sachet le musc invétéré ?                      

Charme profond, magique, dont nous grise      
Dans le présent le passé restauré !                    
Ainsi l'amant sur un corps adore                      
Du souvenir cueille la fleur exquise.                

De ses cheveux élastiques et lourds,                    
Vivant sachet, encensoir de l'alcôve,                
Une senteur montait, sauvage et fauve,            

Et des habits, mousseline ou velours,              
Tout imprégnés de sa jeunesse pure,                
Se dégageait un parfum de fourrure.      

             

O perfume

Leitor, você já alguma vez respira
Com embriaguez e ganância lenta
Esse grão de incenso que toma conta de uma igreja.
Ou um sachê de ervas degeneradas?

Charme profundo, mágico, que nos deixa intoxicados
No presente, o passado restaurou!
Assim gosta um amante sobre um corpo
Da lembrança colhe a flor deliciosa.

De seus cabelos macios e pesados,
Vida sachê incensário do nicho (ou da alcova),
Um cheiro que subia, selvagem como um animal,

E as roupas, mousseline ou veludo,
Todas impregnadas pela sua juventude pura
Ficavam livres de um perfume de pele (odor                                                                                             agrável)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O calhambeque bip bip ...les gens se bousculent





Il est genial!!! Le montage de ces images dans le vidéo sont amusantes. De plus, ils me rendent très contente. Ça me plaît complètement. On y va s´amuser, bip bip.

Bien sûr que Roberto Carlos, notre chanteur immortel du Brésil aime cette française version animée de Joe Dassin.

Moi, je n´ai pas besoin de dire ça, car que je suis une grande fan de cette-époque lá, c´est- à-dire, "A Jovem Guarda" (la jeunesse garde, peut être?! Lol, je sais pas trop)

Il mundo Non si é fermato mai un momento!




É chegado o momento de abrir os olhos! E de não mais pensar no passado. O mundo gira com os amores recém-nascidos e os já acabados, com amores e dores.

É chegado o momento de enxergar que no silêncio do outro você se perde. E o mundo não para lhe dizer que não significa mais nada perto do outro. E por isso o mundo gira. Mas naquela noite, olhando para aquelas luzes de Natal piscando no edifício onde viveram os melhores e piores momentos, ela não pensou mais nele. Apenas achou bonito!



No, Stanotte amore

Non ho più pensato a te
Ho aperto gli occhi
Per guardare intorno a me
E intorno a me
Girava il mondo come sempre


..................................

Stanotte amore
Non ho più pensato a te
A te



obs: tentando aprender o idioma italiano

Sem desculpas



Se você ama uma pessoa faz coisas para deixá-la contente. E ponto. As pessoas são complicadas mesmo. Ninguém se apaixona por um babaca. pelo menos é essa a ideia. Mas quando tudo foge ao controle é preciso parar de fazer compensações. E não levar em consideração mais o lado bom que o ruim. Isso não é amor. O mau não compensa o bem. Se a sua felicidade não é importante para o outro, trate de dar o fora e encontrar um homem que seja mais positivo. Pois esse aí não está a fim de você.

Ninguém muda. Se as atitudes continuam as mesmas, mais uma prova. Escreva e leia em voz alta. Se não entender, chame a polícia, sei lá, pois certamente alguém teve o cérebro roubado e não preciso dizer quem foi. 

As pessoas que amam tentam ser dóceis, gentis, mas o pior: a maior parte acha que ama, mas não. Pode não ser culpa delas. Pois no quesito amor, elas são bem ruins mesmo.

A ideia é não ficar anos a fio num relacionamento e descobrir só depois que o cara é um babaca, covarde, medroso e inseguro. É muito provável que ele venha tentando mostrar quem é desde o começo. Não digo no primeiro encontro, mas nos primeiros meses de namoro. 

Seja firme!

obs: Baseado em fatos reais, experiências de amigos, filmes, livros e anotações em geral.

imagem: http://www.emaisnada.com/sem-desculpas/