terça-feira, 29 de março de 2011

A lenda de HYOKU


Ao vasculhar o meu passado, encontrei uma agenda de 1996 e, nela o registro dos meus dias "emocionantes". Entre um dia e outro, colecionava frases e textos bobos e outros nem tão bobos assim, aliás bem interessantes. Então, faço questão (já que encontrei sem nem precisar procurar), a lenda de Hyoko.


A LENDA DE HYOKU


Segundo uma lenda milenar, existiu uma espécie de pássaro muito especial no Japão que se chamava HYOKU.


Os antigos guardavam sua história como uma verdadeira lição para os homens de qualquer época.


É que, segundo essa lenda, o HYOKU era um pássaro que nascia apenas com uma asa. Assim, desde o instante do nascimento, ele buscava encontrar sua outra metade para unir-se a ela, se completando para conseguir a realização de um pássaro: voar. Porque, enquanto ele não encontrava a metade, não chegava a ser efetivamente um pássaro, apenas meio.


A lenda de HYOKU traz, por isso, uma lição profunda para todos nós: a de que um ser só é completo quando é metade de alguém. É uma pena que, ao contrário do HYOKU, muitas pessoas, ao invés de buscarem a metade que as realize, acabam na ilusão do poder, do egoísmo, do egocentrismo, reduzindo a vida ao meio. Incapazes de se darem a alguém, não conseguem nunca se completar como ser humano de fato. Passam pela vida sendo apenas metade de gente.

segunda-feira, 28 de março de 2011

O homem que se enviou pelo correio




1898. W. Reginald Bray trabalhava com contabilidade, em Londres. Provavelmente cansado de fazer contas, desenvolveu um passatempo interessante: testar os limites do correio inglês. Despachava coisas como esqueletos de coelhos para a Rússia ou cartas para “qualquer residente de Londres” ou então a foto de uma casa estampada no envelope ao invés do endereço. Graças a ele o Correio acabou criando muitas das regras que usamos até hoje. Seu grande feito for despachar a si mesmo, 3 vezes. Entregaram ele são e salvo, em casa. Foi o primeiro envio de ser humano pelo correio da história. Antes, precavido, havia feito um teste com um Irish Terrier. Tem livro ilustrado sobre ele.“The Englishman who posted himself and other curious objects”.


Já pedi o meu. Pelo correio, claro. Um hacker.


sexta-feira, 25 de março de 2011

Deus com direito à vinheta na TV




E por falar em Deus, gostaria sim que ele aparecesse na televisão, como na música do Kid Abelha. Temos em nossas mentes que Deus está em algum lugar "lá em cima". O nome Dele é familiar. É famoso, importante e poderoso. Por isso, acho que a música tem toda a razão...Deus poderia aparecer na televisão. E, por favor, isso seria bacana nos dias de hoje, principalmente.


Deus deveria ter, inclusive, uma vinheta especial, como as que a globo coloca quando algo muito importante ou de extrema urgência tenha que ser divulgada. Poderia ser algo com harpa e violino, mas bem marcante. Assim saberíamos que Deus estaria prestes a dar uma mensagem ou um puxão de orelha, que é o mundo anda precisando, na minha opinião.

Mas isso aqui é apenas uma metáfora...uma forma de dizer que sinto, de verdade, que essa televisão existe sim...dentro de cada um de nós.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Imagens da II Guerra

O fotógrafo Robert Capa


As imagens postadas aqui são da II Guerra Mundial (1939 a 1945), feitas pelo repórter fotográfico húngaro (1913 a 1954). A novidade é que o livro "Ligeiramente fora de foco" chegou ao Brasil. E o melhor de tudo é que o preço é simpático (cheguei a encontrar na internet por R$ 42). Acho que um livro deste naipe deveria valer mais, mas ao mesmo tempo, acho bacana popularizar a leitura e venda de livros.

O livro não contém só fotos não. Robert Capa descreveu, na obra, as "negociações" e algumas peripécias para conseguir uma boa cobertura de guerra. Ele contou que, nos arredores de Paris, em 24 de agosto de 1944, um dia antes da cidade ser tomada pelas tropas aliadas, o fotográfo leu o nome "Teruel" em um dos tanques espanhóis e, convenceu os soldados que o impediam de entrar em Paris que ele havia lutado naquela batalha durante a Revolução Espanhola. Poucos minutos depois de conversa, os soldados espanhóis o liberaram e ainda "deram uma carona" em cima do tanque para registrar Paris.



Então para quem adora história ou simplesmente gosta de saber das coisas e curte boas imagens, tem a obrigação de adquirir o livro. Pois, apesar de tudo, é possível ver a beleza atrás da tragédia. É triste, mas foi real.













quarta-feira, 23 de março de 2011

A rainha do deserto

Tive o prazer e a sorte (graças a Deus e ao fato de estar trabalhando na época) em assistir Priscilla, a Rainha do Deserto, em Londres, em outubro de 2009. Aliás, torrar libras com musicas e teatro é muito fácil e bom demais. Vale a pena! O dificil é escolher dentre tantas opções.

Só sei que hoje acordei com saudades e com uma lembrança boa do musical Priscilla. Não há comparações com o filme. Tudo no teatro é melhor: o figurino, as músicas, a animação, enfim, tudo. Antes de entrar no teatro já se via ao longe um sapato cor-de-rosa choque mega brilhante e uma expectativa muito boa de que seria uma noite, de fato, espetacular. Já dentro do local, um globo gigante mega iluminado. Não havia dúvidas: a era DISCO já vestia o meu estado de espírito. Depois disso, um excelente jantar num restaurante próximo ao teatro. Era felicidade para uma Carolina só.

Bom, compartilho aqui alguns vídeos do youtube deste musical maravilhoso. Notem os personagens vestidos de cupcakes (bolinhos) com uma vela na cabeça. Excelente!






segunda-feira, 21 de março de 2011

Para tirar o bafo, leite!



Tem uma música da Marisa Monte que se chama Diariamente. Nela, sugestões para problemas fazem da música uma lista de dicas. Por exemplo, para o lápis ter ponta, apontador; para fazer uma touca, bóbis...e para tirar o bafo de alho depois de saborear aquele cachorro quente lá do "Dogão do Clóvis"? Leite.


Vou contar a história verídica que aconteceu no último domingo, mas que é uma presença já que adoro comer cachorro quente no Clóvis. Para quem não conhece, a barraquinha fica lá na saída da quadra residencial 309 sul, mas precisamente no ponto do táxi. É bom demais. Aliás, adoro comer na rua... rua mesmo, barraquinhas conhecidas, é lógico. Mas confesso que o que mais amo lá no Clóvis é o "baforento", uma mistura caseira de maionese com pasta de alho. Mas imagina a situação depois do prazeroso momento de degustação? Nem precisa dizer que se eu não me aguento, imagine o JB? Então, para que eu continue a saborear o dog com alho sem afastar as pessoas, encontrei uma saída ao ler uma revista: basta tomar um copo de leite. Pronto! E simples.


De acordo com um estudo do Journal of Food Science, o leite reduz a quantidade de componentes que causam o hálito característico do alho em até 95%. Ah, quanto mais gordura o leite tiver, melhor ainda. E, se a intenção for limpar a boca, prefira o tipo integral.

domingo, 20 de março de 2011

Homens casados são menos ansiosos que solteiros


É isso mesmo. De acordo com um estudo publicado no jornal Stress, a monogamia é uma massagem relaxante. Quando os pesquisadores mediram os níveis de hormônio do stress cortisol em 500 homens e mulheres antes e depois de praticarem um teste que induzia a a ansiedade, verificaram que os solteiros apresentaram índices mais altos do que os casados ou os que namoravam há um bom tempo.

"Ter o apoio de um parceiro pode tornar o stress mais maleável", diz Dario Maestripieri, autor da pesquisa.

fonte: Women's Health



sábado, 19 de março de 2011

Lua mais cheia HOJE


Onde você irá apreciar a lua hoje? Ela estará ainda mais cheia e mais brilhante neste sábado . Hoje acontece a lua perigeu, a maior em quase 20 anos. A última aconteceu em 1993. É um fenômeno mais raro que a lua azul e acontece a cada três anos, em média.

A lua perigeu é mais brilhante e parece muito maior que a lua cheia em estado normal. A de hoje, nascerá no leste ao pôr do sol. A Lua de hoje estará a uma distância saudável - cerca de 356,577 km de distância.

Leia a notícia:
Lua mais perto da Terra no próximo sábado


imagens: Laurent Laveder, fotógrafo profissional e jornalista científico. Especializado em fotos do céu, Laveder faz parte do coletivo The World At Night, que reúne 30 dos melhores astrofotógrafos do planeta.



Mais em:
http://www.laurentlaveder.com/
http://www.twanight.org/newTWAN/index.asp

quinta-feira, 17 de março de 2011

Sobre a organização japonesa

Li um texto interessante esses dias e quero compartilhar. O autor é Romolo Megda.

Veja abaixo:

Acho que o que mais impressiona nas imagens de destruição no Japão é que elas são no Japão. Explico. Eu sempre tive uma imagem do Japão como sendo um país limpo, organizado, com cada coisa no seu lugar, clean. Pelo menos é o que me parece, nunca fui pra lá. Certa vez um amigo diretor de arte foi a Tókio a trabalho e comentou que eles estavam tentando reduzir ao máximo a sinalização aérea nas cidades. Isso pra diminuir o número de postes (fios eles já não tem faz tempo). Assim, ao invés de você ler “Proibido estacionar” numa placa, por exemplo, isso vai pro chão, na medida do possível. Desta maneira, deixa-se a cidade visualmente mais limpa.

Estou dizendo tudo isso porque as imagens de destruição e caos absoluto impressionam. Tem barco em cima de casas. Um mar de entulhos.

Para ajudar as vítimas desta tragédia, alguns designers ao redor do mundo fizeram cartazes no melhor estilo do design japonês: clean, gráfico, direto e sem excessos.

A ajuda humanitária tem um contraponto visual. Subliminarmente, parece que o Design, além de pedir ajuda financeira, pede também para que a ordem visual do Japão se reestabeleça. “Nós queremos o Japão do Design de volta, este Japão das fotos não nos interessa” é o subtexto.

Depois do jump mais 3 exemplos de cartazes.

By James White

By Ars Thanea


By Esthetic Core


imagens: http://updateordie.com/blog/2011/03/15/o-japao-da-foto-x-o-japao-do-design/

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sensacionalismo e desinformação (Japão)

O jornalismo virou um circo. E o fato não é que não se aguente mais ouvir notícias sobre o desastre ocorrido no Japão e sim que já "encheu" o sensacionalismo. Sou jornalista, mas não quero. Por isso estudo o tempo todo para entrar em outra vida. Desisto dos sonhos que não são meus.

Enfim, o que mais me deixa brava, além de ver fotos de crianças sendo usadas o tempo de forma apelativa, é a desinformação, principalmente no que tange as usinas nucleares. Gente, ninguém vai virar um mutante não!!! Ou será que acham que vai ter um cidadão japonês andando por aí sem boca ou com três olhos?! Isso tem que acabar. O que essa população precisa é de apoio, amor ao próximo e muita solidariedade.

Só para ilustrar: o urânio enriquecido é o "combustível" da energia nuclear. É um minério altamente radioativo. Mas vamos lá onde quero chegar. No sábado, na usina nuclear de Fukushima, no Japão, a radiação emitida em torno do prédio do reator (o lugar em que a radiação estaria mais forte) era de 1,5 milisievert por hora. De acordo com o Luis (que envia diariamente um blog excelente no meu e-mail), uma pessoa sentada no topo do prédio do reator demoraria uma hora para absorver 1,5 milisievert. "Isso, por si, não diz muita coisa, certo? Seria o suficiente para provocar mutações horríveis e fazer surgir o Godzilla no fundo do oceano? Nem tanto. Só para efeito de comparação, quando um paciente faz uma tomografia computadorizada de crânio, absorve, em menos de um minuto, 2 milisievert. De tórax? Até 5 milisievert. Abdome e pelve juntos? Até 8 milisievert".

Recebi a informação também que, no caso dos militares americanos expostos, a dose máxima de radiação a bordo do porta-aviões foi "menor do que a recebida em um mês de exposição à radiação de fontes naturais como as rochas, a terra e o sol". A mesma notícia informa que "a radiação pode ser eliminada com água e sabão".

Outro que tem incomodado bastante também é a comparação do acontecimento com as usinas nucleares do Japão com o acidente em Chernobyl, em 1983. Equivocadas informações. Não sei quem foi o especialista que explicou, mas segundo ele, em primeiro lugar, a usina de Chernobyl usava um desenho diferente de reator: o resfriante dela não era água e sim carbono. E em segundo lugar, o terceiro recipiente de conteção (o de concreto e aço) não existia. "O que isso muda? O carbono, com altas temperaturas
, pode incendiar e vaporizar, levando o material do núcleo em seu vapor. Sem o terceiro compartimento de proteção, quando a pressão do reator aumentou e ele rachou, esse vapor foi lançado diretamente na atmosfera, levando pedaços do núcleo de urânio para a atmosfera".

E isso é importante pois não houve explosão nuclear (como uma bomba) em Chernobyl. O que aconteceu foi uma emissão de elementos radioativos na atmosfera que causaram os danos de radioatividade. A simples existência do terceiro compartimento de segurança impediria esse lançamento na atmosfera e com isso os maiores danos de Chernobyl teriam sido evitados.

As usinas do Japão estão então protegidas de um acidente como Chernobyl, já que mesmo na época que esta foi construída já se sabia que aquele desenho de usina era inseguro.

Saiba mais sobre o problema no Japão:


Para entender o que acontece em Fukushima

Desastre no Japão e oportunismo nuclear





imagem:
Liniers: http://bucket.lanacion.com.ar/anexos/fotos/18/1336518w590.jpg

terça-feira, 15 de março de 2011

Temos nosso próprio tempo


“Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo...
Todos os dias
Antes de dormir
Lembro e esqueço
Como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder...”
(Tempo Perdido / Legião Urbana)




Tempo não se tem... se faz! É o que dizem por aí. Mas ‘peloamordedeu’, qual a receita? As horas voam, o ano passa igual a um foguete, mal se faz aniversário e lá vai soprar as velinhas novamente e nunca dá tempo para fazer tudo o que se propôs. Estou realmente assustada. Parece até “tempo perdido”.

Como uma coisa liga a outra, lembrei do nosso eterno e imortal Renato Russo, que dizia que “temos nosso próprio tempo”.

Temos o nosso próprio tempo. Será que fazemos dele um tempo perdido? Será que o tempo dá tempo para a gente? Sei não. E isso mete um medo danado. Então, como dizia Renato, deixe as luzes acesas, embora não tenha medo de escuro, pois somos jovens, mas até quando? Se o tempo não para.

O tempo parou para o Renato e Cazuza...e para matar a saudade...solta o som.


segunda-feira, 14 de março de 2011

Sleep Walk com Joe Satriani e Santo & Johnny

O mundo se acabando para os japoneses e eu aqui no maior ritmo ao estilo "paraíso" com Sleep Walk. Vale a pena conferir a versão original com Santo & Johnny e, também com o violentíssimo guitarrista virtuoso Joe Satriani.





Se alguém ficou curioso sobre Santo & Johnny, adianto que os irmãos formavam uma dupla Ítalo-americana de rock and roll do Brooklyn. Foram consagrados pela canção acima, a Sleep Walk, o maior sucesso. A música foi uma novidade para o rock 'n' roll, pois foi pioneira no gênero ao utilizar a guitarra havaiana ( Santo) com a guitarra elétrica (Johnny). O clássico foi lançado em 1958.


Sobre Joe Satriani, acesse:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Joe_Satriani

O motivo do sumiço! "Tava" no paraíso...



Precisa dizer mais alguma coisa? Precisa sim. Não atualizei mais o blog por causa do motivo acima. E recomendo. As fotos foram clicadas na Ilha de Santo Aleixo. Este paraíso está localizado em Pernambuco, próximo a Porto de Galinhas. E digo categoricamente que as águas cristalinas são iguais as do Caribe. Para se chegar lá é preciso pegar uma lancha ou um catamarã. E se tiver sorte, ou seja, se a maré estiver baixa, ao sair da ilha, dê uma paradinha nos bancos de areia da Praia de Guadalupe (o que não pude fazer. Pena!).


De acordo com a guia, a Ilha de Santo Aleixo é particular, resultado de uma concessão de 100 anos (o que existia na época). O passeio realmente vale a pena, mas só se a pessoa tiver equilíbrio e gostar de barcos pois o que teve de gente com náusea...parecia um festival.


Enfim, recomendo. Por mim, estaria lá até ser expulsa do paraíso particular (já que já tem dono). Sem estresse, sem aquele tanto de gente, sem aquela disputa de mesinhas e guarda-sol. Outro lance bacana é a praia de Maracaípe (onde tirei a foto com a revista). É uma galera super relax que ouve Bob Marley e curte surfar. Aliás, esta é a praia do surf, nada de piscininhas, só ondas (o que não curto muito), mas recomendo ainda assim. Pegue uma mesinha no Bar do Marcão, coloque uma toalha ou canga na areia, monte uma caminha com direito a travesseiro e pronto. O peixe é excelente (Cioba). E, no final da tarde, para quem curte uma vitamina, açaí, salada de frutas, enfim, é só pedir para o vizinho do Marcão, o Laricão. Aliás, este lugar tem "personalidades" interessantes como o Buiú. Ele faz arte com a palha do côco e a madeira, toca violão, canta canções do Bob Marley e tem muita história para contar. Um barato!




Já que contei até aqui os meus passeios, vamos lá para mais um pouquinho de Pernambuco. Para quem quiser ficar sozinho mesmo, basta caminhar mais um pouco além da praia de Maracaípe para se chegar ao Pontal de Maracaípe. Pense no sossego! Aproveite a maré baixa para pegar um outro visual e depois vá até o encontro do mar com o rio. E é daí que vem o nome Maracaípe: do tupi "maraca" (som) e "ipe" (rio), ou seja som do rio.



terça-feira, 1 de março de 2011

Novidade em 1979: Mato Grosso Sul já é Estado



"MATO GROSSO DO SUL JÁ É ESTADO"


E foi assim que a editoria Nacional (que hoje é Brasil) da Folha de S.Paulo publicou a primeira notícia em 2 de janeiro de 1979 (data do meu aniversário).


Quem não leu o post anterior, tem que acessar. Qualquer pode acessar o jornal Folha de S.Paulo na data que quiser. É literalmente uma viagem no tempo. Descobrir os fatos que foram notícia no dia em que nascemos ou qualquer data que tenhamos alguma curiosidade é punk demais, uma delícia, sem comentários!


Pela capa do jornal publicado no dia do meu aniversário, 02 de janeiro de 1979, o que mais me chama a atenção é a propaganda do Bradesco. O Banco, neste dia, creditou o dividendo complementar para um montão de acionistas no PRIMEIRO DIA ÚTIL DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 1979.


O jornal realmente estava recheado. Neste dia, se publicou o resultado da 54o Corrida de São Silvestre e um francês foi o primeiro colocado. E, a super novidade de todos os anos é que o frio na Europa dificultou o transporte.


O melhor de tudo, na minha opinião, do rol de notícias é o pedido de paz do Papa João Paulo II.


Pessoal, legal demais!
DICA: LEIA A PREVISÃO DO TEMPO E OBSERVE AS PROPAGANDAS (no meu caso, Jumbo Electro) QUE VENDEM OS PRODUTOS NA MOEDA CRUZEIRO (no meu caso).

Tenha uma cópia da primeira página da Folha de São Paulo do dia em que você nasceu



Quer saber o que o jornal Folha de S.Paulo publicou no dia do seu aniversário ou qualquer outra data que tenha curiosidade? Então, tenha uma cópia: basta acessar http://acervo.folha.com.br/

Na página, clique em "Desde 1921", escolha primeiro o jornal, depois ano, mês e dia.

Folha de São Paulo -> desde o ano de 1960
Folha da Manhã -> de 1925 a 1959
Folha da Noite -> de 1921 a 1959

Para imprimir, use o botão de imprimir no canto superior direito. O tamanho da impressão segue o zoom que se deu na página. Para o Luis (que enviou esta mensagem), com um clique no zoom, a impressão ocupou toda uma página A4 impressa. Não funcionou a impressão com zoom no Internet Explorer, mas funcionou no Firefox (que foi configurada para que a impressão fosse reduzida para caber numa página).

Na página, há um aviso de "acesso gratuito no período de degustação".


(dica enviada por email por Luis, diretamente do blog dele)




imagem: a capa da Folha do dia que nasci: 02/01/1079

Bora sacudir?

video

Já que é época de Carnaval, por que não sacudir o esqueleto? Por mim, o carnaval poderia ser resumido em rock'n roll alternado de maracatu e frevo. Pense na emoção?! Bom demais.

Há espaço para mais gente?


Há mais gente no mundo. Não há outra explicação. Nasci numa Brasília pacata, totalmente diferente de hoje. Nasci numa cidade onde conhecíamos o mendigo do bairro: apenas um. Ele prometia animaizinhos de estimação para as crianças. Não bastou muito e cresci no ritmo de um relâmpago. Mudei de casa. Fui para um bairro novinho em folha, chamado Sudoeste, há 17 anos. O local, até há alguns anos, tinha o segundo metro quadrado mais caro do país. Bela porcaria! Hoje é lugar mais sujo e inchado que já vi. Lotado de pessoas, um trânsito infernal a qualquer hora, cheia de mendigos e bêbados, a coleta de lixo nem sempre funciona e fede! Fede por causa das pessoas egoístas, fede por causa do lixo, fede por causa dos bêbados, fede por estar cheio de crianças mal educadas pelas suas babás (lê-se babás, a mãe foi trabalhar, o pai foi para a roça, sei lá...).


Bom, voltando ao assunto da Brasília pacata. Depois de um tempo morando no sudoeste, apareceu o "All right", um mendigo que morava aqui perto, o único do bairro. Ele falava inglês, acredite se quiser e tinha família, mas preferia morar na rua. Ele e a sua cachorrinha eram inseparáveis, o maior barato. A cada vez que via o "All right" era uma cena para se contar e guardar na memória. Uma vez, ele vestia uma camisola imensa, escrita Jesus, e tinha um cigarro numa mão e um quibe na outra. Hilário! E gostávamos do "All right". Escrevo no passado pois ele faleceu em 2010. Morreu de frio. A cachorrinha dele não se desgrudou do falecido até que alguém viu que o simpático mendigo havia passado dessa para outra. A história foi publicada no Correio Braziliense. Todos conheciam "All right". Ficamos tristes.


"All right" deixou substitutos, mas não como ele. São pessoas más que assaltam os próprios trabalhadores do Sudoeste. Manicures, massagistas, gente que faz, que trabalha é assaltada o tempo todo aqui nesta área. Passam cheirando drogas pelos edifícios. Isso sem contar os bêbados agressivos. No último sábado, na hora do almoço, um bêbado nos abordou na saída da quadra e foi violento. A sorte é que estávamos dentro do carro com os vidros fechados. Ele apenas bateu a mão no vidro com raiva. Ufa, desta vez, escapamos!


O que quero expressar é que tem sido mais difícil viver. Brasília não é mais a mesma. Todos os restaurantes são lotados, todos os estacionamentos abarrotados, há gente e carros por todos os lados. Penso que já que está difícil viver, seria até uma irresponsabilidade colocar uma criança no mundo. Seria bacana se a maior parte das mulheres pensassem assim. Mas, claro, elas têm que realizar o sonho de ser mãe, ou seja, de delegar a maternidade para a babá. Mas aqui é outra história, inclusive já abordada aqui no blog: o papel de ser mãe. Vai entender o ser humano, vai...


E que assim seja...Amém. Que Deus nos proteja desta selva louca, chamanda mundo e do ser humano, o mais doido de todas as espécies.


imagem: http://ela-aquariana.blogspot.com/2009_01_01_archive.html