quarta-feira, 25 de março de 2009

Bom dia, "post-it" amarelo!


Um belo dia, imagine, você chega no seu trabalho, correndo para variar, e encontra um “post-it” amarelo gritante grudado no computador com duas frases estampadas: “Desculpe-me. Não posso mais continuar”. O remetente? Adivinha ??? O seu namorado. Isso não aconteceu na vida real. Foi apenas um episódio do seriado americano Sex and City, quando Carrie, famosa jornalista, recebe um “soco” desses do Mr.Big, o seu querido namorado problemático.

Pois bem, lembrei dessa cena, hoje cedo quando resolvi começar o dia diferente. Resolvi tomar um café da manhã daqueles. Sentei à mesa e sem pressa cumpri uma parte da rotina – que mal consigo realizar por conta de sempre estar atrasada. Enquanto preparava o pão nosso de cada dia com manteiga, liguei a televisão e fiz o inédito: assisti um pouquinho do Programa da Ana Maria Braga. E sabe qual era o assunto? Os “foras” por meio da internet. Páreo duro com os “post-it” amarelos.

Levar um “toco” já não é bacana. Imagina a palavra FIM – acompanhada de reticências -, vindo pela internet ou como no seriado, por meio de um “post-it” amarelo?! Quanta sacanagem! Mas, hoje em dia, a garotada não anda lá muito preocupada com cortesia e prefere terminar os relacionamentos pela web mesmo. O pior de tudo é que isso não acontece só com essa turma não. Já vi muitos relacionamentos – considerados “maduros” -, terminarem via Embratel.

A reportagem deixou claro. O vocabulário de queixas e desculpas era o mesmo de namoros que se desfazem presencialmente. “Ah, ele terminou do nada. Foi de repente!”, dizem elas. E eles com aquele mesmo papinho que já não cola mais: “Olha o problema não é com você e sim comigo”. Papo para boi dormir.

Elas, umas princesas, cinderelas aos seus modos. Lindas, jovens, saudáveis! Eles, ah eles, um bando de peões. Mais uma comprovação: beleza não põe mesa. E tem muita gente aí feliz com os seus ogrinhos, Shreks e princesas Fionas.

Por que será que elas sempre reclamam da mesma coisa e eles sempre usam as mesmas desculpas? Outro dia, uma amiga minha do squash me contou que morou 11 meses com um cara e “do nada”, como que num passe de mágica, ele chegou e disse que não queria mais. Argumentou problemas de família, de demissão inesperada, enfim, tudo em vão. Pois na nossa mente, os obstáculos existem para unir ainda mais o casal. Resultado: desde 2006 ela vem tentando se recuperar.

Voltando ao programa matinal, Ana Maria conversou com um professor especializado em Comunicação (não me recordo o nome), e ele colocou a culpa na pressa, na rotatividade e facilidade de informações. Não se tem mais aquela espera por uma carta, aquele mistério que se quer desvendar, diz ele. Está tudo muito aberto. E essas tecnologias refletem a cultura dos jovens, faz parte da realidade deles.

Um dos adolescentes entrevistados afirmou que é mais fácil escapar pela internet, pelos sites de bate-papo, do que, ao vivo e a cores. Dessa forma, o papo pode estender demais e vai ficando mais difícil.

E viva o “post-it” amarelo. Se essa moda pega, monto um banquinho e vou vender dúzias e dúzias de bilhetinhos amarelos, já com frases prontas. Dá menos trabalho – e é mais saudável - que discutir a relação num teclado de computador. Cuidado, isso pode acarretar LER!!! Nããããão, lesão por esforço repetitivo, nããããããão.

Imagem: http://belogue.files.wordpress.com

3 comentários:

thomaz disse...

Conheço essa historia....tecnologia dos infernos!

Sandra disse...

O pior de tudo é que tem mocinhas
que não conseguem entender que
desculpas e mais desculpas como
(dor não sei aonde; stress; meu
horário está corrido; vamos nos
ver só no fds para passarmos mais
tempo juntos... por aí vai.) são
foras implícitos e quando se dão
conta estão lendo no post-it "FIM!".

Dani disse...

Gatona adoro seu blog.
Amo vc!
Bjs
Dani