domingo, 29 de março de 2009

Jogue suas mãos para o céu


Jogue suas mãos para o céu
E agradeça se acaso tiver
Alguém que você gostaria que
Estivesse sempre com você
Na rua, na chuva, na fazenda
Ou numa casinha de sapê”

(Na rua, na chuva, na fazenda)




Eu pegava a neve! Brincava com aqueles flocos brancos. E girava, girava, girava. Jogava as mãos para cima e agradecia cada pedacinho que caia em cima de mim. Ali, enxerguei paciência, esperança, certeza, sabedoria, saúde, felicidade, muita felicidade.

Foi apenas um sonho. E não acabou! Aquilo me perturbou de uma forma gostosa e curiosa. Primeiro, porque acordei feliz da vida. E, depois, porque senti esperança, bem do tipo da música da Elis Regina: “EU QUERO A ESPERANÇA DE ÓCULOS”.

Quero sim. Quero a ESPERANÇA DE ÓCULOS, de lente de aumento! Quero vê-la bem perto de mim, quero tomar banho com ela, dormir com ela, acordar com ela, dirigir com ela. Esperança para poder sonhar quando se está acordado. Esperança para me mostrar que tenho os remos necessários para impulsionar o barco de todas as minhas vontades. Eu posso, eu tenho o poder, sou feliz!

E lá fui eu quebrar uma das minhas regras: vasculhar um dicionário dos sonhos. Mas, pô, não acredito em nada mesmo! Pensei, agora é a chance. Senti como se o Vinícius de Moraes chegasse em mim com uma das suas mãos – é que a outra estava ocupada segurando um copo de uísque – me desse um tapinha nas costas e dissesse: Vai, vai, vai....

Gostei. Fez sentido! Se a informação do dicionário estiver certa, em breve vivenciarei aventuras românticas com grandes extremos de emoções. Li também que a brancura da neve simboliza pureza de coração, virtude e misticismo. E que se cair de forma abundante – como foi no meu sonho – a neve deve ser interpretada de modo favorável.

Neve também faz referência ao frio, aquele inverno da alma, seguido de estado de introversão, dor e silêncio.

Mas agora jogo minhas mãos para o céu e agradeço. Obrigada, a fase do inverno está bem no fim. Pare de reclamar da vida! E meio que num tom global: invente, tente, faça da sua vida bem diferente.

imagem: http://static.blogstorage.hi-pi.com/spaceblog.com.br/

2 comentários:

Dute disse...

Ei Carol!! Que bonito esta postagem... Gostei de começar a segunda lendo sobre a esperança!!!! È um sentimento tão nobre e verdadeiro!!!! Traz a certeza de que tudo é possível e que só cabe a nós acreditar e claro, esperar!!!!!

Bjo grande,

Cláudinha

Santista disse...

Carol, este texto ficou excelente. Mais do que esperança, tem um olhar pra frente e cheio de otimismo - com olhos fechados e depois abertos; curiosidade positiva da interpretação do sonho (com ou sem Vinicíus) e o querer da materialização.
Você merece ser muito feliz.