quinta-feira, 5 de março de 2009

Não quero trabalhar, não quero almoçar...só quero esquecer!

Ontem acordei 16h30. Não é luxo nem bonito comentar fazer isso.

Não trabalhei, não almoçei...tomei apenas um vitamina que nem sei qual o sabor.

A única coisa que fiz ao acordar foi mudar de cama. Caminhei poucos passos para o quarto dos meus pais e lá fiquei!

Acredito ter sensibilidade exagerada. Embora a solidão não seja nenhuma dificuldade para mim, descobri que relacionar-se é essencial. E quis! Me permiti.

Não gosto que invadam meu território, mas dessa vez, não me importaria se isso acontece. Minha solidão é preciosa...

Constante!!! Amo essa palavra. Como desejei que tudo fosse constante. Paixão não é igual a pão-de-queijo que assa a qualquer hora, poxa! Mas tem gente que acha que é. Esfriou! Ah não quero mais não. Quem sabe não encontro outro melhor na loja do lado. E assim mais um caso se acaba. Mais uma vez se magoa, sem achar que está magoando. Que ofício é esse!

Já errei, ja botei culpa nos carnavais, já botei a culpa nos amores contrariados. Já tentei aprisionar os meus sentimentos, já me condenei à prisão perpétua. E também já sei que não vale a pena radicalizar. Não sou e nunca serei perfeita. Mas, poxa, como tento!

Isso me fez lembrar uma das minhas músicas prediletas: Sympathique (Simpática), de Pink Martini.



Sympathique (Simpática)

Ma chambre a la forme d'une cage (Meu quarto na forma de uma gaiola)
Le soleil passe son bras par la fenêtre (O sol passa seu braço pela janela)
Les chasseurs à ma porte (Os caçadores à minha porta)
Comme les p'tits soldats (Como soldadinhos)
Qui veulent me prendre (Que querem me pegar)

Je ne veux pas travailler (Não quero trabalhar)
Je ne veux pas déjeuner (Não quero almoçar)
Je veux seulement l'oublier (Quero somente esquecer)
Et puis je fume (E depois eu fumo)

Déjà j'ai connu le parfum de l'amour (Já conheci o perfume do amor)
Un million de roses n'embaumerait pas autant (Um milhão de rosas não exalariam o mesmo cheiro)
Maintenant une seule fleur dans mes entourages (Manter uma flor apenas no meio de tudo)
Me rend malade (Me deixa mal)

Je ne veux pas travailler (Não quero trabalhar)
Je ne veux pas déjeuner (Não quero almoçar)
Je veux seulement l'oublier (Quero somente esquecer)
Et puis je fume (E depois eu fumo)

Je ne suis pas fière de ça (Não tenho orgulho dessa...)
Vie qui veut me tuer (...vida que quer me matar)
C'est magnifique être sympathique (É magnífico ser simpática)
Mais je ne le connais jamais (Mas eu jamais soube fazer isso)

Je ne veux pas travailler (Não quero trabalhar)
Non
Je ne veux pas déjeuner (Não quero almoçar)
Je veux seulement l'oublier (Quero somente esquecer)
Et puis je fume (E depois eu fumo)

Je ne suis pas fière de ça (Não tenho orgulho dessa...)
Vie qui veut me tuer (...vida que quer me matar)
C'est magnifique être sympathique (É magnífico ser simpática)
Mais je ne le connais jamais (Mas eu jamais soube fazer isso)

Je ne veux pas travailler (Não quero trabalhar)
Non
Je ne veux pas déjeuner (Não quero almoçar)
Je veux seulement l'oublier (Quero somente esquecer)
Et puis je fume (E depois eu fumo)

Um comentário:

Sandra disse...

Nossa!!! Fiquei até emocionada.

Saiba que, Deus nos permite passar por certas situações para que
possamos crescer no conhecimento,
adquirir maturidade.
Depois que tudo passar vc vai poder dizer: atravessei o mar do sofrimento
e hj, em terra firme, sou mais
feliz do que achava ser há algum tempo.

O choro de hoje é a alegria de amanhã.