segunda-feira, 30 de março de 2009

Paris bateu à minha porta


“Eu hoje estou me rindo
Nem eu mesma sei de que
Porque eu recebi
Uma cartinhazinha de você”
(Minha Namorada – Vinícius de Moraes)


Recebi uma ligação hoje muito especial. E um e-mail também. Veio de Paris! Fiquei bocó igualzinho ao moço da música de autoria do Vinícius de Moraes. A amizade é o maior presente que se pode ter. Enquanto conversávamos, escutava ao fundo da ligação, o acordeão dos músicos do metrô. Não indentifiquei qual era a canção. Nem quis. Apenas me transportei e quis curtir ao máximo a minha cara-metade. O outro pedaço da minha laranja.

O amor da nossa vida não precisa ser, necessariamente o seu amante. Não precisam estar juntos efetivamente, ou casados. É. Simplesmente é. Pronto e acabou!

Éramos da época das cartas, dos envelopes coloridos que preencheram a minha juventude de uma forma linda! A espera das cartas, às vezes, era sofrida. Por que demoravam tanto? Sabia a hora exata que o carteiro passava no meu prédio. E todo dia, esperava. Tinha verdadeiro pavor quando os correios entravam em greve.

E como era bom! Chegava da escola e lá estava aquele envelope encantando, um tesouro brotando. Era beleza demais para uma Carolina só. Que presente! E foram anos assim. As sentimentalidades compartilhadas num papel entre Brasília e Rio de Janeiro.

A distância só aumenta. Rio de Janeiro não mais. Agora, Paris – Brasília. É um bocado longe! Mas a ideia não é encurtar a quilometragem, e sim aumentar a amizade sempre. Saca o “Casamento do meu melhor amigo”? Pule apenas as cenas da festa, das travessuras da Julia Roberts e do amigo gay! Fora isso, o filme hollydiano aconteceu de verdade.

Há 15 anos a história começou e tomara que nunca termine porque uma vida sem
amigos é uma vida vazia. Adoro você, N!


http://www.caiofabio.com/Arquivo/Image/

3 comentários:

Santista disse...

Ai que bonitinha! Eu recebi uma cartinha do Detran.

Pelo menos alguém lembrou de mim! E ainda tiraram uma foto.

Anônimo disse...

Escrever e uma arte, escrever com encanto e um dom magico que vc claramente tem : as memorias postadas (ao menos as que o N! aparece...) parecem feitas minutos atras, com cheirinho de pao quentinho recem saido do forno. Anonimamente vira e mexe leio o teu bau-diario e vejo o quanto o tempo - infelizmente - passa rapido. Tudo bem por BSB ? Beijos N!

Carolina Cascão disse...

Caro N, não sei como entrar em contato com vc. Só sei que os meus pensamentos buscaram você. Te chamei há poucos dias e eis vc aqui!